desenvolvimento infantil

O desenvolvimento infantil e o papel fundamental das creches neste processo

Logo no início de sua vida,  uma criança tem acesso a dois ambientes de aprendizado muito importantes que vão impactar em toda a sua formação: a família e a escola.

Em teoria, a família nos primeiros anos deve ter a capacidade de formar a criança completamente até que ela comece a frequentar a escola. Aprendendo a falar, a andar, a se alimentar e a se comunicar. No ambiente familiar, a criança também é cuidada, alimentada e tem todos os elementos para a tornar saudável e nutrida.

Já no ambiente escolar, ela aprenderá a se relacionar com pessoas de sua mesma idade, descobrindo e aprendendo coisas que serão úteis para sua vida futura. É ali que ela vê um mundo com muito mais possibilidades de aprendizado.

A seguir, neste post, vamos mostrar tudo o que é ideal para a criança ter um melhor desenvolvimento no início da sua vida, tanto em casa como na escola, bem como vamos falar do papel da escola no desenvolvimento das crianças.

Se tiver dúvidas, comente no final deste post.

Boa leitura!

Desenvolvimento infantil: casa x escola

Uma criança, nos primeiros anos de sua vida, tem no ambiente familiar uma fonte única de aprendizado e desenvolvimento de habilidades motoras, cognitivas e sensoriais. Ao caminhar e movimentar-se, comer, relacionar-se e até mesmo dormir, ela está a cada dia criando seu próprio repertório dentro daquela que é sua primeira noção de mundo.

Para um bom desenvolvimento nesta fase, a criança precisa estar em um ambiente acolhedor, harmonioso e rico em experiências desde o período pré-natal. Isso é possível por meio dos cuidados com a mãe e seu ambiente, e deve continuar a ser promovido de forma intensiva após o nascimento.

Ao entrar na escola, parte do seu intelecto começa a avançar: ela aprende a se posicionar diante dos vários ambientes e grupos onde convive (escola, família, sociedade), a desenvolver um raciocínio crítico e lógico, além de perceber melhor o ambiente cultural e religioso onde se situa.

Neste contexto, a leitura e escrita se tornam ótimas ferramentas de conhecimento, que ela absorverá gradativamente. A coordenação se refina, abrindo a possibilidade para a prática de esportes.

Veja a seguir alguns dos parâmetros de desenvolvimento das crianças por idade usados na avaliação do desenvolvimento motor, emocional e social da criança pelo programa de vigilância de saúde infantil e juvenil em Cuidados de Saúde Primários (CSP):

Parâmetro2 anos3 anos4 anos5-6 anos
COMPORTAMENTO E ADAPTAÇÃO SOCIALColoca o chapéu e os sapatos;
Usa bem a colher;
Bebe por um copo e coloca-o no lugar sem entornar;
Jogo simbólico (faz-de-conta);
Jogo paralelo (brinca junto de outras crianças mas não com elas).
Pode despir-se mas só se lhe desabotoarem o vestuário;
Vai sozinha ao banheiro;
Come com colher e garfo.
Pode vestir-se e despir-se só, com exceção de abotoar atrás e dar laços;
Gosta de brincar com crianças da sua idade;
Sabe esperar pela sua vez (por ex. construir uma torre colocando os cubos alternadamente – criança/examinador);
Jogo imaginativo/narrativo (uso de miniaturas com criação de cenários imaginários).
Veste-se só;
Lava as mãos e o rosto e limpa-se só;
Escolhe os amigos;
Compreende as regras do jogo.
VISÃO E MOTRICIDADEPreferência por uma mão (definição da lateralidade);
Constrói torre de 6 ou 7 cubos;
Imita o rabisco circular (pode fazê-lo espontaneamente), bem como linha vertical (após demonstração);
Gosta de ver livros, reconhecendo detalhes e nomeando algumas figuras;
Vira uma página de cada vez;
Pode ser testada a visão binocular (dois olhos em simultâneo).
Constrói torre de 9 cubos;
Imita (3 anos: construir ponte em frente à criança) e copia (3A1/2: não construir em frente à criança) a ponte de 3 cubos;
Copia o círculo (não desenhar em frente à criança, apenas mostrar círculo já desenhado);
Imita a cruz;
Combina 2 cores, geralmente o vermelho e o amarelo (confunde o azul e o verde);
Não é obrigatório nomear a cor, mas sim corresponder;
Desenha figura humana: cabeça mais uma ou duas partes do corpo (mesmo em locais errados).
Constrói escada de 6 cubos (3 degraus) após demonstração;
Copia a cruz (não deve ser desenhada em frente à criança; risco de imitação do movimento);
Combina e nomeia 4 cores básicas (amarelo, vermelho, verde e azul);
Desenha a figura humana (cabeça, tronco, pernas, e geralmente braços e dedos).
Constrói 4 degraus com 10 cubos após demonstração;
Copia o quadrado e o triângulo (não deve ser desenhada na frente da criança);
Conta 5 dedos de uma mão;
Nomeia 4 ou mais cores e combina até 10 cores;
Desenha a figura humana (cabeça com alguns pormenores, tronco, pernas e braços).
POSTURA E MOTRICIDADE GLOBALCorre com segurança evitando obstáculos;
Sobe e desce escadas com os dois pés no mesmo degrau, apoiando-se no corrimão/parede.
Equilíbrio momentâneo num pé;
Atira bola acima da linha do ombro;
Sobe escadas alternadamente mas desce com os 2 pés no mesmo degrau.Vai sozinha ao banheiro;
Come com colher e garfo.”
Fica num pé sem apoio 3-5 segundos;
Salta num pé;
Sobe e desce as escadas alternadamente.
Fica num pé 8-10 segundos com os braços cruzados.
Salta alternadamente num pé (numa distância de 2-3 metros).
AUDIÇÃO E LINGUAGEMDiz o primeiro nome;
Fala sozinho enquanto brinca;
Junta duas ou mais palavras, construindo frases curtas;
Linguagem pode ser incompreensível, mesmo pelos familiares;
Nomeia objetos familiares e figuras;
Identifica cabelo, mãos, pés, nariz, boca e sapatos.
Diz o nome completo e o sexo;
Vocabulário extenso mas pouco compreensível por estranhos;
Diz frases com 4 palavras;
Defeitos de articulação e imaturidade na linguagem;
Hesitações e repetições de sílabas e palavras no discurso.
Sabe o nome completo, a idade e o sexo e habitualmente a moradia;
Linguagem compreensível e gramaticalmente correta;
Apenas algumas substituições infantis. Por ex. “r” por “l”.
Sabe o nome completo, a idade, morada e habitualmente a data de nascimento;
Vocabulário fluente e articulação geralmente correta;
Pode haver redução de grupos consonânticos (por ex. todos os grupos que contenham Cr ou Cl).

A escola e o desenvolvimento infantil

Um estudo da Universidade de Oxford mostrou que crianças de 2 a 7 anos, ao entrarem em berçários, creches ou escolas, têm resultados positivos e importantes no desenvolvimento da comunicação e também na parte emocional.

Ao conviver com várias outras da faixa de idade dela, a criança pode trocar conhecimento com suas coleguinhas, vivendo experiências enriquecedoras, enfrentando novos desafios e trocando informações com pessoas diferentes.

Ou seja: as instituições de ensino trazem maiores benefícios ao desenvolvimento infantil em relação à aprendizagem em casa com babás. Entre as atividades realizadas que estimulam o desenvolvimento infantil nas escolas, estão:

  • Atividades de Movimento – é necessário que a criança tenha movimento dentro de sua educação; ela precisa se mover com outras crianças, brincar e jogar, para estimular o intelecto, para fortalecer músculos, ossos e cérebro; precisa trocar as emoções e experiências advindas dessas atividades com outras crianças.
  • Atividades de Arte:  a criança precisa se expressar, mostrar seus sentimentos; criar empatia e saber sentir o que o outro sente, e o impacto que as experiências causam em outras crianças;
  • Atividades de Identidade e Autonomia: A criança precisa desenvolver a sua própria personalidade, e também entender que não depende das pessoas para exercer algumas atividades e tarefas. A criança também precisa entender que no mundo não existe só ela.

Como os educadores podem ajudar no desenvolvimento infantil

Na velocidade da informação e do conhecimento que temos hoje, é fundamental que o desenvolvimento infantil seja estudado, com propostas de novas técnicas e recursos.

Estudos já atestam que creches qualificadas auxiliam e fazem grande diferença no desenvolvimento de crianças, já que trazem aspectos muito positivos para a vida da criança no presente e no futuro.

Mas para isso, os educadores precisam saber respeitar as crianças em seu ritmo, seu tempo, direcionando-as sem impor o seu jeito de ser.

Considerar a individualidade de cada uma delas permite que elas sigam seu caminho e façam desde cedo suas escolhas. Estar presente sem interferir, somente quando necessário e saber observar e participar na medida certa são essenciais para a evolução de cada criança.

Uma creche ou pré-escola é o ambiente mais propício para que se aprendam habilidades sociais. Por isso, é de suma importância a criação de um espaço seguro e favorável para que as crianças desenvolvam relacionamentos saudáveis, criando suas próprias experiências.

Observando todos estes pontos, você já terá uma ideia de como sua instituição de ensino poderá ser uma perfeita aliada no desenvolvimento das crianças.

Se você ainda tem dúvidas ou quer saber outras informações importantes, deixe sua sugestão aqui nos comentários!

guia playground seguro

Deixe um comentário!

0 Comentários

Comente