gestão escolar na educação infantil

A importância da gestão escolar na educação infantil

Uma gestão escolar bem-feita é primordial para um ensino de qualidade.

Diferentemente dos outros ramos da educação, a educação infantil demanda um tipo de gestão muito específico, focado essencialmente nas características e necessidades de uma criança pequena.

Assim, não apenas o trabalho pedagógico como o de todas as áreas da escola que permitem o bom funcionamento da atividade-fim – o desenvolvimento e aprendizado – devem ter como centro atender às expectativas das crianças ali matriculadas.

Isso envolve na estruturação de ambientes e de equipes que assegurem a educação e cuidado das crianças, estimulando-as no conhecimento de si e do mundo em que estão inseridas.

A seguir, vamos falar sobre a importância da gestão escolar na educação infantil, e por que ela é parte primordial no processo educativo dos seus pequenos “clientes”.

Se tiver dúvidas ou sugestões, escreva nos comentários ao final deste post.

Boa leitura!

A gestão escolar na educação infantil

Você pode imaginar que gerir uma instituição de ensino é basicamente a mesma coisa em todos os ramos da educação,ou seja, nada mais que ações realizadas através de princípios e processos ligados a direção e organização da escola. Entretanto, quando falamos de educação infantil, existem algumas particularidades que a difere das demais.

Um projeto de gestão escolar na educação infantil deve considerar que os contextos coletivos de educação para crianças pequenas diferem do ambiente da família e requerem medidas exclusivas. Alimentação específica, espaço de descanso, equipe preparada e segurança são alguns critérios que precisam ser avaliados especificamente para esta aplicação.

Para realizar uma gestão escolar de qualidade é preciso também que se promova o melhor uso de recursos humanos e materiais, evitando improvisos e diminuindo o tempo de espera das crianças entre as atividades diárias.

Desenvolvendo as equipes de professores

O método de transmitir conhecimentos e ensinamentos para crianças pequenas tem que ser da forma mais simples, clara e dinâmica possível. Deste modo, é preciso que exista uma preparação para os profissionais que ficarão responsáveis por eles.

A gestão escolar na educação infantil deve investir na formação de uma equipe docente e torná-la capaz de construir um olhar mais sensível, reflexivo e autônomo. Os professores devem ter acesso a estudos teórico-metodológicos sobre a educação na infância e assim obterem o domínio de aspectos específicos do trabalho pedagógico com as crianças pequenas.

Assim, eles podem desenvolver técnicas de como lidar com as crianças no seu desenvolvimento diário e em situações especiais, como por exemplo, o bullying escolar.

Neste processo, o aprendizado de diferentes habilidades, como a artística, o afetivo, o verbal e a física, possibilita ao professor mediar o desenvolvimento cognitivo, da criatividade e da imaginação das crianças.

Qualquer gestão precisa ter como foco básico a formação continuada destes professores, ou seja, propiciar a eles também possibilidades de trabalhar sua autoestima e dar-lhes oportunidade de serem ouvidos, atuando como protagonistas de seu próprio processo de mudança.

Ambientação das escolas

O espaço infantil precisa estar organizado de forma que que atenda as necessidades psicológicas e biológicas da criança. Isto inclui a possibilidade de elas se apropriarem debens culturais por meio de diferentes linguagens, como o teatro, música, entre outros.

Assim, é necessário que a criança sinta-se à vontade e feliz por estar nos ambientes destinados a elas, facilitando assim, o contato visual e oferecendo segurança e autonomia para aprender, inclusive, através da brincadeira.  

O espaço destinado às atividades infantis são criadores de possibilidades de boas vivências. Nestes locais, vale apostar em:

  • espelhos
  • transparências
  • tecidos coloridos
  • elementos da natureza
  • objetos de múltiplos estímulos que instiguem as crianças a manipular, produzir, expor, organizar, guardar, imaginar, lembrar e narrar

As estruturas físicas não apenas ampliam – ou restringem – as possibilidades das crianças interagirem como também se tornam uma referência clara das atividades que nelas podem ocorrer: são locais para correr, desenhar, contar história, jogar etc.

Além disso, a configuração do ambiente é importante pelo fato das crianças o considerarem cenário de alegria ou de medo, inibição ou descoberta, amizades ou rivalidades e de acolhimento das ações e desejos infantis.

Leia mais sobre Gincana: como aliar educação, diversão e segurança

Comunicação

Quando lidamos com crianças pequenas, é essencial que haja a consciência de que punições devem ocorrer para corrigir maus hábitos – entretanto, deve-se saber buscar a melhor forma de realizá-las para que tomem consciência do próprio erro. Essas ações não podem, de forma alguma, agredi-las emocionalmente ou humilhá-las.

Neste contexto, uma gestão escolar mais automatizada pode ser um grande aliado na comunicação dos pais e responsáveis com a escola. Aplicativos e softwares avançados permitem que hoje se comunique facilmente com a escola como nunca antes foi possível.

Os pais podem ter acesso facilmente a comunicados, calendários mural de fotos, resumos do dia, acompanhamento de desempenho, cardápios e mais uma infinidade de funções com a facilidade de alguns cliques.

Tempo e autonomia

A gestão do cotidiano das crianças envolve um trabalho coletivo de organização dos tempos de realização das atividades, dos espaços em que elas acontecem, dos materiais disponibilizados e, em especial, de reflexão sobre as maneiras de o professor exercer seu papel para responder às necessidades e interesses das crianças.

Erroneamente, o cotidiano de creches e pré-escolas é gerido pela lógica da rotina imposta aos próprios adultos que nelas trabalham. Mas entender como se estrutura a jornada diária das crianças, dando-lhes o tempo que precisam  para vivenciar as atividades, contribui para a construção da autonomia para agir nas diferentes situações.

O professor pode participar desta reestruturação do tempo ouvindo as crianças, oferecendo a elas materiais (tinta, massinha, panos, indumentárias, objetos de apertar, jogar, empilhar, livros de história), sugestões e apoio emocional, organizando o ambiente ou criando condições para a ocorrência de interações e brincadeiras envolvendo-as na exploração do seu próprio mundo.

Dúvidas ou sugestões sobre este assunto? Compartilhe conosco aqui nos comentários!

GESTAO DEMOCRATICA

Deixe um comentário!

2 Comentários

  1. Nilva Moraes Ferreira says:

    Concordo perfeitamente!! A educação infantil exige muitos cuidados. Além da estrutura como foi dito, exige muita didática, uma metodologia voltada para a preparação para a vida, com profissionais que gostam de crianças ( nem todas as pessoas gostam e sabem lidar). Exige também um trabalho em parceria com os pais. Talvez até uma preparação continuada com os mesmos. Muitos pais estão em busca de um caminho como melhor educar os filhos. A escola infantil pode ser o caminho.

Comente