segurança na escola

Segurança na escola: veja 16 práticas para prevenir acidentes com crianças

Você sabia que as quedas são as maiores responsáveis por admissão hospitalar de acidentes com crianças e adolescentes de até 14 anos? Segundo dados do Ministério da Saúde, foram 255 mortes e 58.580 hospitalizações somente no ano de 2008, no Brasil.

De acordo com o portal Criança Segura, os acidentes domésticos são a principal causa de morte de crianças de um a 14 anos no Brasil. Isso porque a cada ano, cerca de 4,5 mil crianças dessa faixa etária morrem e outras 122 mil são hospitalizadas devido a esses fatores.

Estudos realizados pelo Hospital São Camilo, em São Paulo, mostraram que 17,8% dos acidentes considerados domésticos que envolvem crianças acontece entre os 2 e os 4 anos incompletos.

Mas acidentes domésticos não são a única origem de lesões graves em crianças, por isso, aqui vamos abordar especificamente os acidentes em ambientes escolares. É o caso, por exemplo, dos incidentes causados por quedas. Confira:

incidentes causados por quedas

Pensar em segurança nas escolas e creches, principalmente durante as atividades recreativas, se torna um aspecto ainda mais importante quando consideramos os dados acima. Isso porque de acordo com o Inmetro, em um período de 15 anos, mais de 6 mil crianças foram internadas no sistema público depois de sofrer um acidente em um playground.

Essa preocupação se torna ainda mais latente quando observamos que as crianças têm entrado em contato com a escola cada vez mais cedo, algumas já chegam a passar mais tempo neste ambiente do que na própria casa. E durante este período as escolas se tornam responsáveis pela integridade física dos alunos.

Então prevenir acidentes causados por quedas ou relacionados a outros aspectos que tangem o ambiente escolar devem ser a preocupação de todos os educadores e diretores infantis.

Como em áreas escolares isso pode acontecer com frequência, é importante saber que medidas tomar para minimizar os riscos. Veja neste blog post 16 práticas para melhorar esse e outros fatores. Confira!

 

Utilize telas para evitar acidentes com crianças

Janelas e varandas oferecem sérios riscos às crianças, uma vez que a altura de queda pode ser significativa e causar lesões graves. Para eliminar este tipo de situação, o ideal é o uso de telas de proteção.

Isso evita que os alunos caiam e também não retira a possibilidade de ventilação. Procure bons fornecedores para garantir um bom preço, mais segurança na escola e facilidades na instalação.

Contudo, é importante saber qual tela será utilizada, pois elas podem ter diferentes especificações. Existem, por exemplo, redes de 3 cm, 5 cm, 7 cm e 10 cm. Elas evitam não só as quedas, mas também a entrada de pombos e outros animais.

Os materiais utilizados para fabricação desses itens são a poliamida e polietileno. O diferencial é a absorção de água em redes de poliamida, fazendo com que a sujeira fique em evidência.

Outros elementos importantes são os ganchos que seguram as redes. O ideal é investir nos de aço inox para que a durabilidade seja mantida e a segurança também.

Por fim, fique atento à garantia. Bons fornecedores costumam oferecer até três anos, mas o material funciona bem por até sete. Mantenha inspeções constantes para avaliar as condições e evitar machucados e acidentes.

 

Dê preferência às rampas

Como sabemos, não é muito comum vermos várias crianças juntas e quietinhas conversando durante o intervalo. A realidade é completamente outra, de muita agitação e brincadeiras. Com isso, é comum que se machuquem ao descerem as escadas rapidamente, o que traz risco de graves lesões.

Etienne da Costa Weinem, formada em pedagogia, com mais de oito anos de experiência na área e diretora da Tutores Petrópolis (reforço escolar e aulas particulares), conta que foi testemunha de um acidente muito sério envolvendo uma criança pequena e escadas, na época que trabalhou em colégios.  Após perder o equilíbrio e bater com o rosto em um dos degraus, o aluno teve de ir imediatamente à emergência de um hospital próximo para ser atendido.

Esse é um dos vários exemplos de acidentes que ocorreram. Portanto, a indicação é que, onde for possível, trocar as escadas por rampas. Isso minimiza os riscos de acidente e também facilita o acesso para deficientes físicos.

 

Alerta para a fase oral

Crianças muito pequenas passam pela fase oral, em que tudo é levado à boca. É muito difícil manter um controle total sobre o que estão fazendo. Contudo, passar orientações para que não peguem nada do chão ou mastiguem objetos é essencial.

Essa fase também traz consequências na hora de conflitos entre os alunos. Quando há desentendimento entre eles, uma das formas mais utilizadas para machucar os colegas ou se defender é a mordida. Um dos exemplos também dado pela  Etienne.

As mordidas podem machucar muito os outros colegas. O que deve ser um ponto de atenção para os coordenadores pedagógicos e professores, pois isso pode trazer problemas sérios no relacionamento com os responsáveis dos alunos.

Vale muito a pena criar sanções educacionais para pais e alunos, que mostram a gravidade dessa atitude.

 

Passe orientações diariamente

Um fator que aumenta as chances de acidentes é a falta de crédito dada a algumas medidas básicas de segurança de segurança na escola. Por considerarem algumas orientações óbvias, os alunos acabam por ignorá-las.

É o caso de:

  • não correr nos corredores e escadas;
  • amarrar os tênis para evitar tropeços;
  • utilizar sapatos adequados às práticas esportivas;

Esses são alguns exemplos de medidas que devem ser seguidas à risca, uma vez que os alunos podem se machucar gravemente. Procure salientar esses itens diariamente e monitorar a fim de minimizar os riscos.

 

Dê atenção especial ao playground

O playground da escola é um local de muita movimentação e também o que oferece mais risco aos alunos. Segundo Etienne, é no parquinho onde há o maior número de acidentes graves.

São diversas as causas de machucados nos playgrounds:

  • quedas;
  • arranhões;
  • escorregões;
  • queimaduras;
  • outros.

 

Atenção com as normas da ABNT

É extremamente indicado que tudo que envolva o parquinho seja cuidadosamente escolhido. Isso envolve brinquedos, materiais, áreas ao entorno e piso adequado. A escolha sobre o brinquedo de playground apropriado também é essencial.

Segundo normas da ABNT, os pisos de segurança devem fazer parte dos playgrounds para evitar acidentes com os alunos. Os pisos de borracha costumam ser os mais indicados para este fim e têm por característica:

  • absorver o impacto das quedas;
  • evitar escorregões;
  • prevenir acidentes mais graves;
  • proporcionar um aspecto visual lúdico.

Em matéria veiculada no canal Band, um menino de 5 anos caiu de um brinquedo no playground infantil, quebrou o braço e teve de ser submetido a uma cirurgia de 3h30min. Ainda assim, permaneceu por mais 7 semanas em tratamento. Infelizmente este é mais um caso dentre outros tantos que acontecem todos os dias.

Segundo pesquisa do INMETRO, as principais causas desses acidentes com crianças são a falta de manutenção e supervisão nas áreas de recreação. A pesquisa ainda aponta que:

  • 48% dos acidentes são oriundos de quedas dos brinquedos;
  • 25% dos acidentes são com o movimento de um brinquedo;
  • 11% das crianças ficam com alguma parte do corpo presa.

Entretanto, é possível adotar algumas medidas para minimizar esses acontecimentos. Melhorar a infraestrutura, planejar melhor o espaço, contar com brinquedos de materiais mais apropriados e pisos de borracha para absorver o impacto são algumas delas.

 

Criando um espaço de recreação seguro

Planejar desde o início o espaço de recreação é fundamental para que ele tenha o máximo de atributos de segurança. Primeiramente, é importante definir bem o local onde será o parquinho. Leve em consideração as seguintes diretrizes para definir:

  • Local deve ser arejado, com boa circulação de ar;
  • Distante de jardins e estruturas de concreto;
  • Distante da rua;
  • Longe do estacionamento ou do fluxo de carros;
  • Distante de piscinas;
  • Longe de janelas;
  • Distante de áreas de grande fluxo de pessoas;
  • Distante de tomadas.

Depois de definido o local, é hora de escolher os brinquedos que farão parte do playground. Os módulos de plástico são os mais indicados, pois não possuem pontos de saliência – pregos e quinas -, que podem ocasionar lesões.

Os brinquedos de metal e madeira possuem características que oferecem mais risco. Farpas, por exemplo, machucam muito e são encontradas com frequência. Já os brinquedos de metal, quando expostos ao sol tendem a esquentar e podem causar queimaduras.

Dê preferência a brinquedos que não possuem mais de um metro de altura

A grande maioria das crianças gosta de aventura, mas para proporcionar estes momentos também é necessário estar atento para não colocar a saúde dos pequenos em risco. Por exemplo, para serem divertidos os playgrounds não precisam ser muito altos. De acordo com a ABNT, não é indicado que o ponto mais alto dos brinquedos tenha mais de 1 metro de distância do chão. Além disso, é recomendado que os equipamentos de playground tenham as plataformas cercadas com as barras na vertical, para evitar que sejam escaladas, assim como módulos com acentos possuam algum encosto que sirva de barreira para evitar as quedas.

Se optar por caixas de areia, é importante trocar periodicamente e utilizar areias atóxicas. Pois, quando pequenas, as crianças levam tudo à boca, por isso, a necessidade do uso deste tipo de material.

Evite brinquedos com correntes

É comum encontrar castelos, escorregas ou outros brinquedos infantis que possuam correntes. Nesse caso, porém, a diversão pode acabar em desastre. Isso porque os dedinhos de quem está brincando podem acabar ficando presos nos elos das correntes, correndo o risco de serem torcidos, quebrados ou até mesmo amputados.

Aposte no plástico

Brinquedos de madeira são lindos, mas escondem um grave perigo: as farpas. Por isso, evitar esse material é um ótimo jeito de prevenir acidentes durante atividades recreativas.

Muitas escolas acabam recorrendo, então, aos brinquedos de metal. O grande problema é que, se expostos ao sol, esse tipo de material pode causar queimaduras graves nos pequenos.

Por isso, o ideal é que os módulos dos escorregadores, escaladores, trepa-trepa, assentos, entre outros, sejam de plástico, que não soltam farpas ou queimam a criança.

Cuidado com os espaçamentos entre os brinquedos

Quem não acha lindo brinquedo com ponte? Esse módulo, porém, pode causar sérios problemas. Isso porque os pezinhos das crianças são muito pequenos e facilmente se encaixam entre os vãos, podendo ficar presos, torcer ou quebrar.

Outras fendas podem causar estrangulamento das mãos e cabeça. Atenção a estes espaçamentos e evite-os o máximo.

Se quiser utilizar areia, use a atóxica

O ideal é que o piso da área de recreação seja de borracha. Entretanto podem existir as famosas “caixinhas de areia”.

Nesse caso, a utilização de areia atóxica traz mais segurança. Ela não possui componentes químicos prejudiciais à saúde dos pequenos. Mas lembre-se que é normal também que as crianças saiam muito sujas, dando muito trabalho para você e para os pais. Além disso a areia é muito sujeita à contaminação por diferentes fatores.

As orientações de saúde também devem ser seguidas. O ideal é que a troca da areia ocorra anualmente, a higienização a cadas seis meses, a camada superficial deve ser retirada diariamente e a caixa coberta em horários que não estiverem sendo utilizada.

Como nessa fase as crianças colocam muitos objetos na boca, não seria surpresa se isso também acontecesse com a areia, certo? Então reforço que a utilização da areia não é o ideal.

Fazendo a manutenção correta do parquinho

Os parquinhos infantis devem receber inspeção visual rotineira para evitar acidentes com crianças. Nessa inspeção devem ser analisadas as condições dos brinquedos, drenagem do local e demais aspectos que possam impactar na segurança do playground.

A cada três meses, a área de recreação deve receber uma inspeção registrada. No documento devem ser indicados os pontos a serem adaptados ou simplesmente ratificar que o ambiente está em condições de uso.

Já a cada doze meses, a inspeção deve ser certificada por especialistas ou instituições acreditadas pelo INMETRO. A manutenção dos playgrounds é fundamental para garantir que o número de acidentes com crianças diminua.

É importante ficar de olho o tempo todo. Bons fornecedores de brinquedos e pisos de borracha podem auxiliar na hora da manutenção. Cuide para escolher aqueles que oferecem acompanhamento após a adesão dos produtos.

Ficando atento à localização, infraestrutura e manutenção, as chances de diminuir os acidentes com crianças são muito maiores. Baixe o nosso e-book para você relembrar quais são as medidas que deixam o playground mais seguro, sempre que precisar. Afinal de contas, o que importa é a alegria e a tranquilidade das crianças.

Além da diversão, é muito importante que as crianças tenham segurança no parquinho das escolas.

Como o número de alunos é muito grande e nessa idade a energia é praticamente infinita, implementar medidas para prevenir acidentes é fundamental.

 

Oriente o uso para garantir segurança no parquinho

Além das normas da ABNT, é interessante que você estipule algumas diretrizes internas. Elas podem dar ainda mais segurança no parquinho da escola. Existem algumas crianças um pouco mais agitadas, que vez ou outra podem acabar se machucando caso não sejam orientadas.

Por isso é muito válido que você determine horário para utilização do espaço, proíba certas atitudes que possam colocar em risco outras crianças e algumas orientações que você considere útil, como faixa etária, limitar o número de alunos, restringir entrada de alimentos, entre outras.

Fica mais fácil prevenir acidentes.

 

Cuide com a exposição ao sol

Uma dica que vai proporcionar segurança no parquinho é o local onde ele será instalado. Evite que ele seja muito exposto ao sol, pois isso pode trazer desconforto e mal estar nas horas de brincadeiras.

Caso esta não seja uma opção invista em toldos para garantir sombra nos momentos mais quentes. Isso também pode aumentar o tempo da diversão, uma vez que com temperaturas mais amenas, as crianças cansam menos.

 

Evite o fluxo de carros

O local onde será o parquinho deve estar longe do fluxo de carros ou ambientes perigosos. O ideal é ter uma área mais isolada, que garanta mais segurança aos alunos.

Vale lembrar que na infância, os pequenos têm o costume de “fugir” e de estar distraídos. Às vezes em questão de minutos é possível perdê-los de vista. Por isso, fica ainda mais difícil a harmonia entre fluxo de veículos e crianças.

 

Limite o espaço para diminuir acidentes

Outra medida que pode agregar mais segurança no parquinho, é o uso de cercas, canteiros, muretas e outros elementos que limitem o espaço de lazer. Isso evita que as crianças se percam ou acessem outros ambientes, saindo do controle dos responsáveis.

No caso da utilização de barreiras, mantenha a acessibilidade com o uso de portões que devem abrir para o lado externo.

 

Verifique as condições do terreno

Um fator de relevância ao parquinho infantil é o seu terreno. O relevo pode apresentar algumas demandas específicas. Você deve verificar a inclinação e drenagem do espaço e caso seja necessário o uso de grelhas e ralos para escoamento da água, estas devem ser embutidas no piso com vão máximo de 15mm.

Fique atento às características do solo para não ter problemas a longo prazo. Respeitar suas particularidades pode representar economia em manutenção posteriormente.

 

Mantenha a harmonia no uso do espaço

Como na hora de se divertir a euforia toma conta, com ela vem o barulho. Os horários de intervalo costumam ser diferentes entre as turmas da escola. Enquanto alguns estão estudando, outros estão na hora do recreio, certo?

Imagine, então, se o parquinho for localizado muito próximo às salas de aula. Quem estiver estudando próximo ao local terá dificuldades de concentração. Isso é mais um motivo para você pensar bem antes de determinar o local em que será o playground da escola.

 

Utilize piso de borracha

Como o maior percentual dos acidentes são em decorrência de queda dos brinquedos – 48% -, as medidas de segurança mais importantes visam justamente solucionar este problema em específico. Os pisos de borracha possuem a característica de absorver impacto e, por isso, podem ser aliados decisivos para evitar lesões graves.

Segundo normas da ABNT, os playgrounds infantis já devem inclusive seguir as orientações que recomendam o uso de piso de segurança para áreas de recreação. Nem sempre é o que acontece, o que dificulta a redução das estatísticas.

Existem diferentes espessuras de piso emborrachado e cada uma delas é capaz de absorver impacto de diferentes alturas de queda. O ideal é que na hora da aquisição, seja perguntado ao vendedor a capacidade de absorção.

Pergunte também sobre certificações de instituições acreditadas pelo INMETRO. Isso dará a certeza de que o piso instalado será capaz de conferir mais segurança e evitar acidentes com crianças.

Capacidade de absorção de impacto dos pisos de acordo com a espessura.

absorção de impacto

Uma das medidas mais importantes à segurança no parquinho da escola é o piso utilizado na área. Solos de concreto e outros materiais rígidos podem ocasionar lesões sérias aos alunos.

Portanto, você deve procurar soluções que previnam este tipo de situação.

Uma ótima alternativa é o uso de piso de borracha. Eles absorvem o impacto e minimizam as chances de acontecer algum acidente.

Além da segurança, os pisos de borracha contam com diversos benefícios, como:

  • excelente aspecto estético/visual;
  • fácil limpeza
  • pode ser sustentável/ecológico;
  • baixo custo de manutenção;

Incidentes mais comuns, como pequenos arranhões, já trazem transtorno e exigem um procedimento apropriado, mas a parte mais difícil muitas vezes é lidar com os pais.

Para evitar situações desconfortáveis com os responsáveis pelos alunos da escola, vale muito a pena investir em segurança. Desta forma, você mostra que oferece o máximo de medidas para que as atividades realizadas sejam feitas sem riscos.

Fique atento às dicas deste conteúdo e tenha mais segurança no parquinho da sua escola. Previna para não ter maiores problemas.

 

Invista em bons fornecedores

Alguns fornecedores de brinquedos e pisos podem realizar a manutenção de seus produtos. Aliás, bons fornecedores DEVEM fazer isso! Portanto, comprar seu produto com as pessoas certas pode fazer toda a diferença.

Os pisos de borracha, por exemplo, tendem a se contrair ou perder coloração.

Se você contar com um bom fornecedor, duas coisas serão diferentes:

  • Primeiro: o piso vai demorar a dar problema, porque é de qualidade.
  • Segundo: quando você precisar de alguma manutenção eles irão te ajudar durante todo o processo.

Para evitar problemas com acidentes e outras dores de cabeça, o melhor é se planejar bem antes de montar sua área de recreação. Profissionais e fornecedores qualificados podem lhe auxiliar neste sentido.

Além do mais, estamos falando de crianças, não é mesmo? Elas merecem nossa atenção e carinho.

Se você quiser saber mais sobre orientações sobre segurança nos playgrounds você pode baixar nosso guia. Confira!

Segurança na escola é fundamental para que os alunos se desenvolvam e não tenham traumas. Além disso, para a instituição de ensino é a garantia de mais credibilidade e confiança.

Portanto, não deixe de cuidar da segurança na escola. Ela pode ser essencial para aumentar o número de matrículas no ano seguinte.

Deixe um comentário!

1 Comentário

    Comente