Protagonismo Infantil

Os benefícios do Protagonismo Infantil na educação

Colocar a criança ativa na tomada de decisões, expressando livremente suas opiniões, pensamentos, sentimentos e necessidades, e cumprindo o papel de atores principais neste processo: estamos falando sobre o Protagonismo Infantil. Proposta cada vez mais difundida nas escolas para envolvê-las democraticamente no mecanismo de aprendizagem.

Neste contexto, ela deixa de ser apenas uma espectadora e de receber regras já prontas. Ela começa a participar da formação, tomando as rédeas do seu dia a dia.

Tal prática encontra respaldo na lei, já que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e o Marco Legal da Primeira Infância preveem que é essencial ouvir e incluir os pequenos nos processos de decisão.

Por outro lado, o Protagonismo significa também assumir responsabilidades, e implica em contribuir e construir conjuntamente em um movimento de interação e de inter relação com o seu ambiente e com os outros ao seu redor.

A seguir, vamos nos aprofundar nesta questão e entender como o Protagonismo Infantil pode ser benéfico não apenas para o desenvolvimento das crianças, como também para as escolas, famílias, governos, mídia e até organismos governamentais e não governamentais.

Se tiver dúvidas ou sugestões, compartilhe conosco nos comentários abaixo.

Boa leitura!

O Protagonismo Infantil

A origem etimológica do termo “protagonista” remete à palavra protagonistés. No idioma grego significava ator principal de uma peça teatral, ou aquele que ocupava o lugar principal em um acontecimento.

Mas, para reconhecer as crianças como atores sociais tanto em suas próprias vidas como na escala social, é preciso que as reconheçamos como pessoas com direitos e indivíduos com critérios, capacidades e valores próprios. Além de participantes de seu próprio processo de crescimento e desenvolvimento pessoal e social.

E mais ainda do que participantes com importante voz ativa nos debates: como “protagonistas”, elas passam a ser atores principais dos acontecimentos, de forma que as ações passam a ser voltadas para si e suas necessidades.

O protagonismo infantil, dentro da sala de aula com o professor como mediador, dá oportunidade de as crianças se envolverem em uma alegria criativa e libertadora através de uma aprendizagem real.

Cabe aqui ressaltar que o termo protagonismo infantil não significa fazer tudo o que se quer e tem curiosidade. Por isso, a mediação do professor é tão essencial para acolher os interesses das crianças. É importante dar a esses pequenos a chance de se relacionarem e compreenderem seu espaço dentro de um contexto coletivo.

Segundo a mestre em Educação Queila Almeida Vasconcelos, acontece muito nas escolas a confusão entre protagonismo e abandono, onde os professores abandonam as crianças sem perceberem, relegando a elas a tomada de decisões que não lhes cabem ou para as quais ainda não estão prontas.

Portanto, considerar a participação de crianças e adolescentes não só implica em expressarem livremente opiniões, pensamentos, sentimentos e necessidades. Existe aí um caráter político, social, cultural, ético e espiritual inerente que demanda uma pedagogia. Ademais, nos convida a propor um novo ‘status’ social da infância e do adulto e seus papéis na sociedade local.

Benefícios do Protagonismo Infantil

Com planejamento, é totalmente possível que alunos de diferentes idades assumam papel de protagonistas em suas rotinas. Alguns dos benefícios do Protagonismo da Criança que podemos destacar aqui são:

  • Formação de seres humanos mais ativos na sociedade
  • Maior senso de responsabilidade
  • Formação de crianças mais ativas e empáticas
  • Desenvolvimento da autoestima e habilidades sociais
  • Maior sentimento de pertencimento aos espaços

Outra competência que podemos destacar a respeito do Protagonismo Infantil é o fato de que ele se desenvolve apenas a partir do desenvolvimento do protagonismo dos outros, sendo efetivo quando alcançado a partir de grupos ativos onde se expressam ideias e se tomam decisões, incluindo as opiniões de crianças, adolescentes e adultos.

Alejandro Cussiánovich, estudioso que tem acompanhando experiências de participação protagonista infantil, já associa ao protagonismo alguns valores e conceitos, como podemos listar:

  • Dignidade
  • Iniciativa
  • Poder
  • Excelência
  • Reconhecimento
  • Aceitação

E não basta apenas inseri-las em ambientes de adultos. Vale deixar claro que a criança continua sendo criança, com direitos garantidos, tempo, liberdade para brincar, aprender e se desenvolver. Entretanto, com mais autonomia e participação em processos decisórios, ganhando assim mais responsabilidade.

Como estimular o protagonismo infantil na escola?

Uma boa dica para os professores e os gestores que desejam começar a estimular o protagonismo infantil é o uso de jogos educativos, em que as crianças definem de forma independente o grau de dificuldade, atuando sozinhas ou em grupo, e resolve de forma independente as questões propostas no jogo.

Além dos games a criação em conjunto de regras, outra atividade que pode ser explorada no próprio dia a dia são os cuidados com o ambiente escolar.

Reuniões para debates de ações também são essenciais para quem quer apostar no protagonismo das crianças. No Colégio Santo Américo, por exemplo, quinzenalmente acontecem as chamadas Assembleias Escolares. Elas contam com a presença de professores, cuja função é mediar a conversa das crianças.

Segundo José Ruy Lozano, coordenador pedagógico do colégio: “o objetivo dessa prática, além do levantamento de possíveis respostas, acordos ou regras referentes à resolução de conflitos, é levar os alunos a expressarem suas ideias, respeitar outras opiniões e se colocarem no lugar de seus colegas”.

Os professores, por sua vez, precisam coordenar todas essas atividades respeitando a evolução de cada criança. Além de incentivarem a tomada de decisão individual e a criatividade como subproduto destas práticas.

Na educação infantil, recomenda-se que atente para as atividades de maneira ainda mais abrangente. Por exemplo: é importante que o professor saiba, ao ler uma história para as crianças que está trabalhando não só a leitura, mas também a fala, a criatividade, a escuta, e a escrita; ou quando organiza uma atividade de percurso, está trabalhando a percepção do espaço, o equilíbrio e a coordenação da criança.

GESTAO DEMOCRATICA

Deixe um comentário!

0 Comentários

Comente