Gestão escolar: o que é e quais são seus diferentes tipos

Você sabia que uma gestão escolar adequada é primordial para garantir um ensino de qualidade?

Criado para se diferenciar da expressão “Administração Escolar”, o termo Gestão Escolar traz para o contexto educacional os elementos e conceitos fundamentais para aumentar a eficiência dos processos institucionais.

Abordando questões concretas da rotina educacional, ela busca garantir que as instituições de ensino tenham as condições necessárias para cumprir seu papel principal: o de ensinar com qualidade e formar cidadãos.

Neste post, você vai descobrir como pode melhorar a Gestão escolar através da liderança, da motivação dos professores, dos alunos e dos pais e, assim, atingir a excelência no ensino de sua escola.

Se tiver qualquer dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário no final da página.

Boa leitura!

Gestão escolar: o que é e quais são seus pilares?

A Gestão escolar é um sistema de organização da escola que envolve todos os setores que se relacionam com as práticas escolares.

Seu foco principal está no desenvolvimento socioeducacional eficaz da instituição, com orientação voltada para atingir resultados, motivar equipes e lideranças, e alcançar os objetivos com ênfase na qualidade do currículo.

A seguir, vamos falar dos seis principais pilares que constituem a gestão das escolas e cursos, cujas atuações visam autonomia administrativa, financeira, pedagógica e otimização de tempo e processos nas instituições de ensino.

  • Gestão pedagógica: nada mais é que a organização, planejamento e administração da área educativa. Uma vez que se relaciona diretamente à atividade fim do setor educacional, é o pilar mais importante da gestão de escolas e cursos. Sejam eles profissionalizantes, cursos livres, cursos de idiomas ou de ensino superior.

 

  • Gestão administrativa: cuida da instituição como estrutura física, como o prédio, os equipamentos, materiais necessários para o funcionamento das aulas e dos projetos propostos pela gestão pedagógica. Esta parte tem também a missão de zelar pelos bens e garantir que sejam bem utilizados em prol do ensino.

 

  • Gestão financeira: ela organiza o orçamento da instituição e se responsabiliza em distribuir de forma ordenada a verba para os diferentes setores da escola. Cuida da parte financeira da instituição, como o cálculo de custos, o fluxo de caixa e a inadimplência sob controle. Ela deve andar de mãos dadas com a gestão administrativa para que todos os gastos sejam dimensionados de maneira correta.

 

  • Gestão de recursos humanos: é responsável pela organização e distribuição de tarefas de pessoal, e por manter o bom relacionamento entre todas as partes. A principal missão da gestão de recursos humanos é motivar as equipes e garantir que todos estejam satisfeitos. Consequentemente, terão um bom rendimento de suas atividades.

 

  • Gestão da comunicação: Está diretamente relacionada com a gestão escolar de recursos humanos, mas ela não se basta apenas em garantir que os colaboradores estejam satisfeitos e motivados. Ela se projeta para além dos muros das instituições e envolve toda a comunidade escolar, como os responsáveis dos alunos. É também competência desta área mantê-los informados sobre as atividades da instituição.

 

  • Gestão de tempo e eficiência dos processos: Todos os setores da escola funcionam como uma engrenagem de um relógio. Se algo não funciona ou funciona mal, gera atrasos ou até a parada dos ponteiros. Manter os olhos e ouvidos bem atentos, prestar atenção e planejar todas as etapas dos processos é importante para os gestores conseguirem identificar quais engrenagens atrasam ou prejudicam cada setor. A gestão de tempo e eficiência dos processos está diretamente relacionada com a produtividade dos setores.

 

Vale lembrar que todas essas gestões são interdependentes. O bom funcionamento entre cada uma dessas esferas é vital para o sucesso de toda instituição de ensino. Assim sendo, os gestores devem sempre acompanhar de perto todas as diferentes áreas de atuação.

Confira também Como abrir uma escola: o passo a passo

Softwares de Gestão Escolar: vale a pena investir?

Você pode se perguntar: como um único gestor pode administrar tantas áreas diferentes ao mesmo tempo de maneira realmente eficaz?

Uma boa forma de começar é investindo em ferramentas específicas que possibilitem uma visão ampla e integrada de todos os setores da instituição. A tecnologia pode ajudar na administração de uma escola: os softwares de gestão escolar, por exemplo, são sempre uma boa escolha para manter tudo sob controle.

Os benefícios diretos ligados à utilização desse tipo de ferramenta são diversos. Apenas para começar, podemos citar:

  • Aumento na captação de alunos
  • Diminuição da evasão escolar
  • Diminuição dos níveis de inadimplência
  • Controle e gestão financeira eficiente
  • Aumento da produtividade das equipes
  • Foco nos clientes e não nos processos operacionais
  • Melhoria na tomada de decisão das áreas gerenciais
  • Fidelização dos clientes (pais e responsáveis)

Você pode pensar, a princípio, que uma ferramenta tão completa deve custar uma fortuna. Mas aqui trazemos mais uma boa notícia. Atualmente, há uma enorme variedade de softwares de gestão escolar com pacotes interessantes para todos tipos e tamanhos de instituições. Uma rápida busca lhe permitirá encontrar a mais adequada às necessidades e orçamento da escola!

Veja esse guia específico sobre como montar uma escola infantil completa.

Modelos de Gestão escolar

Como em qualquer gestão de um grupo social, ingredientes como autoridade, obediência, liderança, disciplina e autonomia podem vir em maior ou menor proporção. A maior parte das gestões escolares, porém, têm preferido adotar modelos que dão voz à toda a comunidade envolvida. Como o exemplo a seguir:

  • Gestão democrática e participativa: essa gestão é um princípio definido na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Art. 3º. Inciso VIII), e na Constituição Federal (Art. 206, inciso VI) e pressupõe a participação efetiva dos vários segmentos da comunidade escolar – pais, professores, estudantes e funcionários – em todos os aspectos da organização da escola. Ela parte do entendimento de que a democratização da gestão é condição estruturante para a qualidade e efetividade da educação. Seus princípios-base são a Descentralização, a Participação e a Transparência. De uma maneira simplificada, é uma parceria entre a instituição e a comunidade em que está inserida. Alunos, famílias, professores e funcionários cooperam e opinam diretamente nos processos de gestão da escola de maneira inclusiva e democrática.

Conclusão

Apenas com organização é possível conseguir avanços socioeducacionais dentro da escola e o aprendizado dos estudantes de forma efetiva.

Mais do que estar bem a par do seu mercado, os gestores das escolas precisam conhecer a fundo todas as áreas que envolvem o bom e correto funcionamento de sua instituição.

Usar as tecnologias disponíveis e os potenciais humanos da comunidade escolar serão aliados neste processo. Eles promovem uma ação conjunta e integrada que permite à escola atingir resultados satisfatórios para todos!

GESTAO DEMOCRATICA

Deixe um comentário!

0 Comentários

Comente